quarta-feira, 20 de outubro de 2010

PARA UMA CERTA MOÇA!


FOTO: Google imagens
ESCRITO por Juliana Costa de Lira


Se eu disser que lamento não vai ser o bastante. Pedir perdão parece que não adianta mais... Eu errei e já não há como consertar. Queria apenas dizer que sinto tua falta, que sinto saudades. Eu não menti quando disse a você que meu coração estava habitado, alguém entrou furtivamente feito água.



Mas não é sobre isso que quero falar. É sobre como você fez toda diferença, como fez tudo ficar mais suportável a tal ponto que já nem doía mais. Se eu não te amei como você merece, se eu não reconheci o tanto que você é importante, não é culpa sua. É porque eu sou idiota às vezes e também faço das minhas.

Hoje você não quer mais ouvir falar sobre mim e eu estou me mantendo distante. Acho justo que você se afaste do que não te faz bem e infelizmente eu te fiz mais mal que bem. Mas acredite em mim, moço, não foi por querer.

Eu queria ter feito com que todos os teus dias fossem “árvores-barco", que todos os dias fossem de cachoeira e sorvete de creme, dançaríamos na chuva e eu te ensinaria a voar... Perdoe a insistência e a minha preocupação contigo, se todo o resto for imperdoável... perdoe apenas o fato de que eu te adoro e me preocupo.

Sinto tua falta.



Mas já é tarde demais...
Postar um comentário