terça-feira, 29 de dezembro de 2009

SE ALGUÉM LHE PERGUNTAR QUEM SOU EU



Se alguém lhe perguntar quem sou,

diga-lhe que sou poeta de mim mesma,

diga-lhe que vivo com os olhos nas estrelas

e que compreendo osignificado do amor.


Se lhe perguntar onde estou,

diga-lhe que estoua qui e lá,

em cada poema, em cada objeto,

em cada palavra,

diga-lhe queestou com você real e presente.


Se lhe perguntar sobre o meu sorriso,

mostre-lhe o Sol

Se lhe perguntar onde está minha voz,

diga-lhe que ela é o murmúrio do vento.


Se lhe perguntar onde vivo,

mostre-lhe todo o infinito.

Se lhe pedir para desenhar meu rosto,

faça-o com traços sobre a água.

Se você conseguir convencer a esse alguém que pergunta,

provará que me conhece......

mas se conseguir provar tudo isso a si mesmo

perceberá então que - sou parte de você!Em estado de amor...(AD)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

DA MINHA PRECOCE NOSTALGIA

**Maria Sanz MartinsQuando eu for bem velhinha, espero receber a graça de, num dia de domingo, me sentar na poltrona da biblioteca e, bebendo um cálice de Porto, dizer a minha neta:-
Querida, venha cá. Feche a porta com cuidado e sente-se aqui ao meu lado. Tenho umas coisas pra te contar. E assim, dizer apontando o indicador para o alto:- O nome disso não é conselho, isso se chama corroboração! Eu vivi, ensinei, aprendi, caí, levantei e cheguei a algumas conclusões. E agora, do alto dos meus 82 anos, com os ossos frágeis a pele mole e os cabelos brancos, minha alma é o que me resta saudável e forte. Por isso, vou colocar mais ou menos assim:
É preciso coragem para ser feliz. Seja valente. Siga sempre seu coração. Para onde ele for, seu sangue, suas veias e seus olhos também irão. E satisfaça seus desejos. Esse é seu direito e obrigação. Entenda que o tempo é um paciente professor que irá te fazer crescer, mas escolha entre ser uma grande menina ou uma menina grande, vai depender só de você. Tenha poucos e bons amigos. Tenha filhos. Tenha um jardim.
Aproveite sua casa, mas vá a Fernando de Noronha, a Barcelona e a Austrália. Cuide bem dos seus dentes. Experimente, mude, corte os cabelos. Ame. Ame pra valer, mesmo que ele seja o carteiro.Não corra o risco de envelhecer dizendo "ah, se eu tivesse feito..." Tenha uma vida rica de vida. Vai que o carteiro ganha na loteria - tudo é possível, e o futuro, tsc, é imprevisível. Viva romances de cinema, contos de fada e casos de novela. Faça sexo, mas não sinta vergonha de preferir fazer amor. E tome conta sempre da sua reputação, ela é um bem inestimável.
Porque sim, as pessoas comentam, reparam, e se você der chance elas inventam também detalhes desnecessários.
Se for se casar, faça por amor. Não faça por segurança, carinho ou status. A sabedoria convencional recomenda que você se case com alguém parecido com você, mas isso pode ser um saco! Prefira a recomendação da natureza, que com a justificativa de otimizar os genes na reprodução, sugere que você procure alguém diferente de você.
Mas para ter sucesso nessa questão, acredite no olfato e desconfie da visão. É o seu nariz quem diz a verdade quando o assunto é paixão.Faça do fogão, do pente, da caneta, do papel e do armário, seus instrumentos de criação. Leia. Pinte, desenhe, escreva. E por favor, dance, dance, dance até o fim, se não por você, o faça por mim.
Compreenda seus pais. Eles te amam para além da sua imaginação, sempre fizeram o melhor que puderam, e sempre farão. Cultive os amigos. Eles são a natureza ao nosso favor e uma das formas mais raras de amor.
Não cultive as mágoas - porque se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é que um único pontinho preto num oceano branco deixa tudo cinza.
Era só isso minha querida.Agora é a sua vez. Por favor, encha mais uma vez minha taça e me conte: como vai você?(Presente da CrisBoro)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A LINGUAGEM DO OLHAR [Fátima Irene Pinto]

Falta ainda a linguagem do gosto!
Que gosto terá tua boca quando colada na minha?
Que indizível prazer devo sentir ao te percorrer?
Falta ainda a linguagem do tato!
Como será o entrelaçar das nossas mãos?

O abraço tão apertado que poderemos ouvir nossos corações pulsando sôfregos e descompassadosem meio a tão arrebatadoras emoções?
Falta ainda a linguagem do cheiro!
Não o da minha ou da tua colônia.
mas o nosso cheiro, natural, hormonal,falando da premência da entrega, assim sem nenhuma cerimônia?

Já conheço a tua melancólica expressão, Já conheço o teu complicado sentir, Já conheço a tua férrea razão.
Mas que presunção a minha eu achar que te conheço...!
Não porque faltem o tato, o olfato e o paladar.
Eu só poderei dizer que realmente te conheço quando, olhos nos olhos, a tua Alma eu puder sondar. http://www.fatimairene.prosaeverso.net/index.php

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

ONTEM EU PROCUREI VOCÊ. autor . E. Barboza Neto.


Sabe de uma coisa? Ontem eu procurei muito por você; Onde você está que eu não lhe encontro?Vaguei por todos os cantos a sua procura, por todos os lados eu fui, - aos jardins, aos bosques, aos rios, às praças, por todas as bandas eu perambulei, mas não encontrei você.Sabe até onde eu procurei você? até no perfume da "dama da noite" com o qual a brisa gentilmente me presenteou, naquele momento mágico em que a lua, ainda, pendurada lá no céu, lançava o seu derradeiro olhar sobre a terra, demonstrando ares de quem já estava com sono. De nada adiantou, lá também você não estava.Ah! mas eu vou encontrar você.Sabe porque eu vou encontra-la? Para na dimensão do seu sorriso medir a extensão da minha felicidade, pois você é o espelho dos meus sonhos e eu quero ser os sonhos do seu espelho.Eu preciso encontrar você pra lhe falar que eu quero ser a sua felicidade, pois a minha felicidade é você.Eu quero encontrar você pra lhe mandar flores do campo, pois não tem como lhe mandar o campo em flor. Eu preciso encontrar você, para com a cabeça de encontro ao seu peito, dormir ao compasso do seu coração.Eu preciso encontrar você, pra lhe dizer que eu não quero ser a sua fantasia, pois para mim você é a mais bela das realidades e ainda, que você alegra os dias do meu viver e que se tornou hóspede eterna no meu coração.Ah! mas o dia que eu encontrar você vai ser muito bom, sabe o porquê? Você não vai precisar dizer nada, pois a sua presença para mim será a mais deslumbrande declaração de amor.Mas você não sabe o que eu vou fazer no dia que encotrá-la! Nesse dia eu vou lhe dar o meu coração; Nossa! que bobagem eu disse, ele já e seu! Ah! eu sei o que eu vou fazer, vou pedir o seu coração pra mim! Não! Isso não será possível, trata-se de um pedido muito especial e ele só terá lugar no dia em que eu estiver à sós com Deus.Mas tem hora que acho que você só existe nos meus sonhos e que eu nunca vou encontrá-la, mas não faz mal, tudo está valendo a pena, pois a esperança de encontra você está me dando força bastante para suportar a saudade da sua ausência, até o dia que eu lhe encontrar.

EU CONTINUO PROCURANDO VOCÊ!

abrace forte... Assim... Gostoso!...
Como é próprio dessa dança que você mais gosta...-
Um bolero lento...- Sim, um abraço de bolero, digamos, inocente...
- diz achando graça do que diz.
Os pés nem se mexem, só as pernas que se tocam entremeadas.
E um abre a boca pra dizer algo, mas não diz porque a música está um pouco alta, e o outro com o rosto colado pergunta:-
Que disse?- Nada...- Que ia dizer? .- Só pensei...- Que foi que pensou?- Nada...- Parece que ouvi...-
Acho que foi a música.- Que música?- Da minha alma – responde rindo.- Mas eu ouvi...-
É o eco do meu coração, querida.- Que é isso?- Uma voz que ressoa na alma.- Mas eu ouvi...-
É, quando o abraço é de alma ouve-se a voz do coração...-
Abraço de quê? Desculpe, a música está alta...-
Nada. Deixa pra lá, depois eu explico.
Dançam mais um pouco e a música pára, mas eles nem notam e continuam abraçados de olhos fechados no meio do salão.-
Está vendo o que está acontecendo ao redor?...- Que é que está acontecendo?- Já há muito que o bolero acabou e só nós estamos abraçados no meio do salão...-
Como se mais ninguém existisse no mundo...-
Não existe mesmo mais ninguém...- Só nós...Os dois estavam parados no meio do salão...
Finalmente olham meio envergonhados e vêem que todos os vêem assim parados.
Mas ouve-se um aplauso.
E todos sem exceção batem palmas porque não há quem não se dobre diante de um encanto desses...© Adelmario Sampaio © 2004(Presente da Aurea)

A COLEGIAL


1º ANO DO COLEGIAL Enquanto sentado na aula de inglês, eu admirava a garota ao meu lado.


Ela era a minha tão chamada "melhor amiga".

Eu admirava seu lindo cabelo longo e desejava que ela fosse minha.

Mas ela não me via com estes olhos, e eu sabia disso.

Depois da aula, ela veio em minha direção e me pediu pelas minhas anotações, pois tinha perdido a aula passada, e eu as entreguei a ela.

Ela disse "obrigada" e me deu um beijo na bochecha.

Eu queria dizer a ela... eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido, e não sei porquê.


2º ANO DO COLEGIAL O telefone tocou. Do outro lado da linha, era ela.

Ela estava em prantos, murmurando continuamente sobre seu coração que fora partido por seu amor.

Ela me disse que fosse vê-la porque ela não queria ficar só, então eu fui.

Assim que me sentei ao seu lado no sofá, eu me fixei em seu suave olhar, desejando que ela fosse minha.

Após duas horas, um filme da Drew Barrymore, e três sacos de salgadinhos, ela decidiu ir dormir.


Ela olhou pra mim, disse "obrigada" e me deu um beijo na bochecha.


Eu queria dizer a ela... eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido, e não sei porque.


3º ANO DO COLEGIAL Na véspera do baile de formatura ela foi até o meu armário.

"O meu par está doente", ela disse, "e ele não vai melhorar".

Eu não tinha companhia, e na 7ª série fizemos um pacto que se nenhum de nós tivessemos companhia para o baile, iríamos juntos como "melhores amigos".

Então fomos.


NOITE DO BAILE Após tudo terminado, eu estava de pé, parado, na porta da casa dela! Eu a fitei enquanto ela sorria pra mim e me fitava com seus olhos de cristal.


Eu quero que ela seja minha, mas não pensa em mim dessa forma, eu sei disso.

Então ela disse "Foi o melhor momento da minha vida, obrigada!" e deu-me um beijo na bochecha. disse. Eu queria dizer a ela, eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido, e não sei porquê.


DIA DA FORMATURA Um dia passou, depois uma semana, depois um mês.

Antes que eu pudesse piscar era o dia da formatura.

Eu olhei enquando seu corpo perfeito flutuava como um anjo até a plataforma para pegar seu diploma.

Eu queria que ela fosse minha, mas ela não me via dessa forma, e eu sabia disso.

Antes que todos se dirigissem aos seus lares, ela veio até mim em seu traje de formanda, e chorou enquanto eu a abraçava.

Então ela levantou a cabeça de meu ombro e disse "Você é meu melhor amigo, obrigada", e deu-me um beijo na bochecha.

Eu queria dizer a ela, eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido, e não sei porquê.


ALGUNS ANOS DEPOIS Agora estou eu sentado no banco da igreja.

Aquela garota está se casando agora.

Eu a vi dizer sim e seguir em frente, rumo a sua nova vida, casada com outro homem.

Eu queria que ela fosse minha, mas ela não me via dessa maneira, e eu sabia disso. Mas antes que ela partisse, ela veio até mim e disse "Você veio!!!". Ela disse "obrigada" e beijou-me na bochecha. Eu quero dizer a ela, eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo mas sou muito tímido, e não sei porquê.


FUNERAL Anos se passaram, e eu olho para o caixão de uma garota que costumava ser minha "melhor amiga".

Na cerimônia, leram a entrada do diário dela, escrito na época do colegial.

Isto foi o que leram:— Eu o admiro desejando que ele fosse meu, mas ele não me vê dessa forma, e eu sei disso. Eu quero dizer a ele, eu quero que ele saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos. Eu o amo mas sou tímida, e não sei porquê. Eu queria que ele me dissesse que me ama!

Eu queria também... Eu pensei pra mim, e eu chorei.

Eu te amoEu te amoEu te amoEu te amoEu te amoEu te amo Se você ama alguém, então deixe que a pessoa saiba, antes que seja tarde demais.

É melhor permitir que a pessoa saiba, do que se machucar, vendo-o (a) com outra pessoa.

, eu achei que conhecia um pouco dos loucos…

Até que te conheci…

Ai então quem enlouqueceu fui eu…

Nunca entendi esses limites…

Mas vc me fez ver que não existem.

Por isso tenho medo do seu amor… Me ajuda!

Me ensina como acender a chama da coragem!

A chama do amor louco…

Irresponsável, atrevido, sedutor…

Você me enlouquece com teus versos…

tuas palavras de amor e carinho.

Fico feliz em saber que sou teu principe.

Gosto dessas tuas loucuras boas…

Só você me faz fantasiar e entrar nas tuas loucuras.

Você me trás de volta a uma realidade maior…

Você me anima por dentro.

Trás de volta minha alegria, meleva junto nos teus sonhos…

Fico quietinho…

Só quero ser criança de novo.

Viver um novo sonhocontigo meu amor… Sabe?

Eu amo você!


E Pronto…


Autoria: Anne Icav(Presente da Anna Luiza)

EU SOU IDIOTA


Hoje reparei um pouco mais na pessoa refletida no espelho. Fiz uma séria constatação. EU SOU IDIOTA! Isso mesmo, idiota.

Mas não pense que tenho vergonha disso.

Nos dias de hoje, ser idiota é privilégio. Os idiotas de hoje são aqueles que conseguem sorrir mesmo quando a dor aperta.



São aqueles que ainda dizem Eu te Amo olhando nos olhos, que valorizam abraços e gostam de andar de mãos dadas.

Idiotas são aqueles que crêem num sentimento sincero, que ainda esperam encontrar um amor perfeito, que escrevem e lêem poesias e que mandam flores.

Idiotas são românticos, no sentido mais meloso da palavra, mas não se envergonham disso.

São aqueles que se permitem chorar quando a dor machuca, quando o amor se vai ou o filme emociona.

Cantam músicas de amor como se fossem hinos, mesmo porque, para seus corações apaixonados realmente são.

Idiotas são sentimentais.

Se magoam com a menor das brigas e lutam pela reconciliação.

São aqueles que não ligam para o que os outros dizem, eles se dão por completo.

Idiota é aquele que pede desculpa mesmo sem ter errado, que pede licença, que dá bom dia, boa tarde, boa noite.

Que pergunta “como vai?”, “precisa de alguma coisa?”, “ta tudo bem?’.

É aquele que não esquece nem do amigo que não dá mais notícias, aquele que lembra da infância e comemora o quanto foi bom.

Idiota é aquele que ri de si próprio, que brinca de descobrir desenho em nuvem, que anda descalço e toma banho de chuva.

Que chora por briga de amor, e que a cada briga acha que o mundo acabou, mas que logo perdoa.

Idiota é aquele que, mesmo nesse mundo corrompido, insiste em ser sincero.

Que estende a mão pra ajudar quem for, que faz o bem sem olhar a quem.

Idiotas se preocupam, se arrumam e se enfeitam para ver a pessoa amada.

Querem estar sempre belos, nem que seja só pra se olhar no espelho.


Idiotas se divertem.


Idiotas tem amigos.


Idiotas amam.


Idiotas são felizes...Depois disso tudo, eu te pergunto:


Vale ou não a pena ser idiota?Garanto que vale!!!© Juliana Lavandoski

domingo, 13 de setembro de 2009

A VOZ DO SILÊNCIO


Então, parei para interpretar a frase acima e ... imediatamente me veio à cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis pois, você sabe, o silêncio não é dado a amenidades. Um telefone mudo. Um e-mail que não chega. Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca. Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas.
Quantas coisas são ditas na quietude, depois de uma discussão. O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão. Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim. É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas indicam uma tentativa de entendimento.
Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo. Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado. Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar: " Diz alguma coisa, mas não fica aí parado me olhando! " É o silêncio de um mandando más notícias para o desespero do outro.
É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo. Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua, o silêncio é um bálsamo. Para a professora de uma creche, o silêncio é um presente. Para os seguranças de um show de rock, o silêncio é um sonho. Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz.
O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto. É quando ninguém bate à nossa porta, não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim você entende a mensagem.

A BORBOLETA AZUL [Fernando Pessoa]


Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes.

As meninas sempre faziam muitas perguntas.

Algumas ele sabia responder, outras não.
Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina.

O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar.
Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.
Então, uma delas apareceu com uma linda borboleta azul que usaria para pregar uma peça no sábio.
- O que você vai fazer? - perguntou a irmã.
- Vou levar uma borboleta azul em minhas mãos e perguntar ao sábio se ela está viva ou morta. Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar.

Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la.

E assim qualquer resposta que o sábio nos der estará errada!
As duas meninas foram então ao encontro do sábio, que estava meditando.
- Tenho aqui uma borboleta azul.

Diga-me sábio, ela está viva ou morta?
Calmamente o sábio que estava meditando, sorriu e respondeu:
- Depende de você... ela está em suas mãos.
Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro.

Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado.

Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não conquistamos).
Nossa vida está em nossas mãos, como a borboleta azul... Cabe a nós escolher o que fazer com ela.

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.
Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas inseparáveis.

ONDE FOI PARAR O TEMPO?[Marcelo Canellas]


Onde foi parar o tempo que ganhamos?

Havia mais terrenos baldios.

E menos canais de televisão.

E mais cachorros vadios.

E menos carros na rua.

carroças na rua.

E carroceiros fazendo o pregão dos legumes.

E mascates batendo de porta em porta.

E mendigos pedindo pão velho.

Por que os mendigos não pedem mais pão velho?

A Velha do Saco assustava as crianças.

O saco era de estopa. Não havia sacos plásticos,

levávamos sacolas de palha para o supermercado.

E cascos vazios para trocar por garrafas cheias.

Refrigerante era caro. Só tomávamos no fim de semana.

As latas de cerveja eram de lata mesmo, não eram de alumínio.

Leite vinha num saco.

Ou então o leiteiro entregava em casa,em garrafas de vidro.

Cozinhava-se com banha de porco.

Toda dona-de-casa tinha uma lata de banha debaixo da pia.

O barbeador era de metal, e a lâmina era trocada de vez em quando.

Mas só a lâmina. As camas tinham suporte para mosquiteiro.

As casas tinham quintais.

Os quintais tinham sempre uma laranjeira, ou uma pereira, ou um pessegueiro.

Comíamos fruta no pé. Minha vó tinha fogão a lenha.

E compotas caseiras abarrotando a despensa.

E chimia de abóbora, e uvada, e pão de casa.

Meu pai tinha um amigo que fumava palheiro.

Era comum fumar palheiro na cidade; tinha-se mais tempo para picar fumo.

Fumo vinha em rolo e cheirava bem.

O café passava pelo coador de pano. As ruas cheiravam a café.

Chaleira apitava.O que há com as chaleiras de hoje que não apitam?

As lojas de discos vendiam long plays e fitas K7.

Supimpa era ter um três-em-um:toca-disco, toca-fita e rádio AM (não havia FM).

Dizia-se 'supimpa', que significa 'bacana'. Pois é, dizia-se 'bacana', saca?

Os telefones tinham disco.

Discava-se para alguém. Depois, punha-se o aparelho no gancho.

Telefone tinha gancho. E fio.

Se o seu filho estivesse no quarto dele e você no seu escritório,

você dava um berro pra chamar o guri,

em vez de mandar um e-mail ou um recado pelo MSN.

Estou falando de outro milênio, é verdade.

Mas o século passado foi ontem!

Isso tudo acontecia há apenas 20 ou 25 anos, não mais do que o espaço de uma geração.

A vida ficou muito melhor.

Tudo era mais demorado, mais difícil, mais trabalhoso.

Então por que engolimos o almoço? Então por que estamos sempre atrasados?

Então por que ninguém mais bota cadeiras na calçada?

Alguém pode me explicar onde foi parar o tempo que ganhamos

quinta-feira, 9 de julho de 2009

VENHA LOGO


© Silvana Duboc08/06/2007Quando você se vaideixa uma saudade tão intensaque minha alma pensaque não vai aguentar,meu coração tende a parar,meu corpo se abandona em qualquer lugar.


Quando você se vai fica faltando um pedaço meuque há muito já é seu,que dentro de você se escondeu.Quando você se vai as luzes da cidade se apagam,os silêncios bradam,os gritos calam,os raios de sol desapareceme as estrelas se esquecemque junto da lua devem ficarpara que ela não se sinta sóe desista de brilhar.


Quando você se vai tudo muda de lugar.Até as batidas do meu coraçãomudam de posição e do lado direito do meu peito disparam dando sinal de insatisfação.


Mas quando você se vai tem, também, algo de muito bom.Seja qual for o lugarque você possa estar,próximo ou distante de mim,antes de ir você me diz assim;Comigo eu a levarei!E o que eu não sei é como isso pode acontecer pois você continua aqui comigo mesmo sem perceber.


"O amor desconhece partidas e distâncias. Quem vai leva uma parte considerável de quem fica e quem fica guarda um pedaço imensurável de quem se foi. Por isso, pra mim você não se foi e pra você eu não fiquei."

VENHA LOGO


Eu tenho procurado por você faz tanto tempo... acho que tenho procurado por você por toda a minha vida.


Não sei que fim levou você, ou em que planeta se escondeu, porque eu sei que você existe e que está do mesmo jeito que eu, buscando por mim sem saber direito que existo e que estou aqui, esperando por você.


Só que de repente fiquei cansada e desisti de aceitar da vida o que ela tinha pra me oferecer, e por causa disso os últimos anos foram muito difíceis, e agora parece que acordei de repente e quando olhei em volta percebi que o mundo havia se desabitado de verdade, e as pessoas estavam cada vez com mais e mais pressa de passar e não deixar marcas e não consegui mais contato com ninguém que se aventurasse a ir além de arranhar a superfície pra procurar através daquilo que parece e não é.


Já tenho sessenta anos agora e ainda estou à sua procura, e se passar mais outro tanto sem você chegar juro que vou enlouquecer, e é por isso preciso que você venha logo, entende, pra gente tentar ser feliz enquanto é possível respirar, pra que a gente possa caminhar por aí dividindo alguns sonhos, e ainda que não tenha muitos eu prometo que ajudo a sonhar os seus porque nesse tempo de esperar por você nem tenho mais dado conta de ter meus próprios sonhos.


Eu sei como você é e que gosta de madrugada e de dia de sol, e também que não vai se importar se vez por outra eu falar baixinho pedindo que me dê a mão para eu poder dormir porque preciso me sentir amparada no meu sono, e que nem vai se incomodar de ser muito amado, nem se sentir desconfortável quando eu disser "eu te amo" mais do que é permitido no manual da boa moça, porque afinal não sou nem boa nem moça... sou uma mulher querendo muito dizer eu te amo pra você.


Quero mesmo é respirar e sentir o seu hálito quente em meu rosto, e seus dedos alisando de mansinho as rugas que se formarem em volta dos meus olhos quando eu sorrir dizendo bom dia porque sei que o dia que começar com sua cabeça no travesseiro ao lado com certeza só poderá ser bom, infinitamente melhor que os dias em que acordo e amontôo os travesseiros para que a cama não pareça assustadoramente vazia como tem parecido nestes últimos anos.


Ah, e quero rir... e rir de qualquer bobagem que seja, porque houve um tempo em que meu riso tinha um valor imensurável e fazia parte do meu charme, e eu sei que em algum lugar de mim ele ainda existe, à espera de espaço para fluir e se fazer presente... quero sair de dentro de mim sem medo de não ser aceita, nem compreendida, porque quando você conhecer a mim vai me amar do mesmo jeito que eu vou amar você.


E então meu riso vai brotar de dentro de mim pra você.


Eu fico aqui pensando que você deve ter se cansado de me procurar e ficou assim que nem eu, perdido nesse marasmo, mas ainda tem jeito de você chegar porque afinal, ambos estão tanto tempo à procura um do outro mesmo, que nada melhor que nos encontremos de uma vez.


Então desce desse planeta quase extinto e vê se chega pro café da tarde, mas não espere que tenha bolo de fubá na mesa porque preciso confessar a você que não sei cozinhar, nem fiar, nem bordar, nem fazer essas coisas todas que ensinaram a você que as moças prendadas faziam.


Por outro lado, tenho cá meus encantos, faço um silêncio pra lá de especial, sei caminhar macio e parecer invisível quando necessário e também adoro jornal espalhado pela casa, ainda que dividido em seções possa parecer mais civilizado. E farelos: sou doida por farelos por todos os lados e não dou a mínima se tiver roupa atirada por aí, conquanto você aqueça meus pés nas noites frias de inverno.


Pensando bem, preciso também dizer a você que nestes anos em que está demorando pra chegar adquiri alguns hábitos não muito saudáveis, como por exemplo comer fora de hora e nunca à mesa, e de dormir tarde e acordar mais tarde ainda... mas tenho certeza que podemos ajustar nossos relógios e encostar nosso tempo de ser feliz e eu até prometo abrir mão dos farelos se você precisar dormir num lençol impecavelmente esticado; e embora odeie futebol prometo nunca perguntar que graça tem vinte e dois bonequinhos correndo atrás de uma bola porque nessa hora vou estar na cozinha vigiando o microondas estourar pipocas pra você.


Não sei porque você ainda não despencou dessa árvore onde pendurou sua desesperança, mas eu torço que você esteja escorregando dela e que caia direto nos meus braços abertos à sua espera porque aí nós vamos poder dançar descalços pela vida por um bom tempo ainda, pois o amor rejuvenesce e revigora a gente; e afinal, que importa se nossas idades somadas perfazem mais de um século se há toda uma eternidade à nossa espera?


Eu sei que você existe e que está apenas esperando que eu lance à sua praia a garrafa com o fatídico bilhete amarelado pelo tempo dizendo venha me buscar! mas acho que você também perdeu a esperança porque tenho mandado meu navio atracar seu porto todos os dias e você nunca está na beira da praia...Tem outra coisa que preciso lhe contar: é que meus cabelos agora estão brancos, e eu os pinto pra disfarçar, mas daí fico pensando que não deve ter lá tanta importância porque com certeza se você tiver os seus ainda serão brancos também; e isto me faz lembrar que se por acaso você tomou cerveja demais ao longo da vida eu não vou me incomodar que isto tenha lhe dado barriga desde que você não se importe que eu não possa mais andar de mini-saia.


Ah, tem coisa à beça que quero lhe contar desse tempo de esperar por você, mas prefiro que seja baixinho no seu ouvido, porque alguns pecadinhos ditos em voz alta podem parecer maiores; por outro lado a gente pode fazer um pacto de silêncio e começar tudo outra vez, e criar um tempo novo onde sejamos apenas eu e você e mais nada.


Agora, eu acho que fotografias de netos vão acabar aparecendo de um jeito ou de outro, e nesse caso é bom que você saiba que embora avó, tenho muito da menina que você tem procurado pela vida afora.


Ainda tem luzes nos meus olhos, minha boca continua macia, e eu sinto que quando você me tocar as sensações da adolescência e da primeira vez vão estar todas ali do jeito que você espera.Olha eu aqui. Mesmo que eu não seja exatamente como você me criou em sua imaginação, quero que compreenda que passaram anos desde que você começou a me procurar.


Por isso, procure enxergar além de mim mesma, através da roupa que me veste, do corpo que me cobre a alma, e descubra a mim, aquela que sou na minha essência e que tem estado todo esse tempo à sua espera.


Ah, esqueci de lhe dizer uma última coisa: pode chegar a qualquer hora, viu, porque qualquer hora é hora de chegar e você vai ser muito bem-vindo quando finalmente abrir a porta e habitar meu mundo e nossas solidões puderem se alisar até se diluírem no calor do nosso abraço e depois disto nunca mais seremos sós.


E ficaremos finalmente em paz.**Maria Tereza Albani**

CORPO DE MULHER


É um ninho de emoções que não verás através da sua pele…Uma geografia que admiras, sem chegares à sua essência.


Despir uma mulher, não chega para descobrir o seu mundo secreto.É muito provável que os seus olhos te contem muito mais…Ela sabe que para chegares à sua alma,deverás olhar com muito mais paciência.


Mesmo despida, estará vestida de mistério O fogo do seu interior,só o conhecerás olhando o seu coração…Mesmo sem roupa, na tua frente, não te pertence…Ao despires uma mulher,nunca conseguirás tirar-lhe a sua melhor prenda…o pudor.


Não existe seda que supere a sua pele...Nem tela que possa esconder o seu encanto.


Despir uma mulher ou tirar as pétalas a uma flor…É chegar até à porta dos sentidos,E ajoelhar diante do altar sagrado da sua fonte de vida.


Mas lembra-te… ela continua sem te pertencer Não conhecerás o seu céu… mas talvez conheças algo do teu.


Com ela, pode o artista esquecer por completo o que é uma linha reta...e naufragar num mar ondulado de luzes e sombras.


Não te estou dar um presente para os teus olhos…Trata-se de um presente para a tua alma...Sem luxúria, sem humor negro, nem duplas mensagens...Mel, orvalho, frutas, aromas e sabores.


É uma das melhores obras de arte de Deus,transferida para a pintura,para a fotografia epara a escultura.A tua inspiração nasce dela…Talvez um dia.......(AD)(Presente de Vera Perdigão)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

DEIXE-ME GOSTAR DE VOCÊ (Fátima Irene Pinto)


Deixe-me gostar de você feito criança porque descobri que é o único jeito que consigo gostar de verdade, sem confusão, sem hipocrisia.Deixe-me gostar de você da forma mais simples, sem porquês, sem perguntas, sem articulações.


Se eu ou você pensarmos muito e nos colocarmos sob o crivo da razão, teremos que ver entre as nossas qualidades também os nossos defeitos. Teremos que ver a treva que coabita com a nossa luz. Então deixe-me gostar de você como criança. Criança gosta sem pensar.


Deixe-me gostar de você sem cobranças, sem compromissos que não sejam aqueles que nós dois estabelecemos para nós mesmos e não aqueles que os homens inventam que devemos seguir à risca toda vez que resolvemos gostar.


Deixe-me gostar de você da forma mais inocente que eu puder.Neste gostar permita-me descartar toda a cultura, filosofia, modismos, conceitos ou preconceitos, dogmas, todo e qualquer mandamento ou imposição que venham de fora. Quero apenas ouvir meu coração, assim como quero que você ouça o seu.


Se eu ficar com você um minuto, uma semana, um mês ou um ano, que seja pelo real prazer de ficar, pois aprendi que não é a duração, mas a qualidade que transforma um único minuto numa experiência com gosto de eternidade.


Deixe-me gostar de você sem expectativa, sem planos para o futuro, sem gaiolas que limitem o meu querer porque o futuro é tão incerto e nunca é do jeito que pensamos.Se nos gostarmos de verdade, é possível que haja muitas ações no presente e é só isto o que verdadeiramente importa.


Acima de tudo, deixe-me gostar de você deixando-o completamente livre para ficar ou para partir. Deixe-me gostar de você sem máscaras e sem verniz.E se um dia eu disser adeus e partir, creia, será no exato momento em que eu descobrir que já não sou capaz de me fazer ou de o fazer feliz.

sábado, 2 de maio de 2009

MULHER MADURA


"Este é um texto que achei maravilhosopara todas as mulheres.Tenho amigas na Net, muito queridas,de vinte a noventa anos.Muitas estão de bem com a vida que temoutras gostariam muito de ser diferentese se aproveitarem da alta tecnologiaestética do momento. Eu gosto de todasvocês, exatamente como são hoje."Tenho cabelos loiros, pintados, para esconder os fios brancos. Não me lembro exatamente em que ano eles começaram a branquear... Tenho algumas rugas em volta dos olhos, também não me recordo quando elas começaram a aparecer. Tento disfarçá-las, tantas novidades no campo da dermatologia, achei por bem aproveitá-las. Do corpo não cuido quase, só recentemente entrei para uma academia por ordem médica. Ele me disse que na minha idade preciso de exercícios. Mas falto mais do que vou, não gosto de fazer ginástica. Das minhas unhas cuido semanalmente, penso que elas são uma porta de visita. Unhas maltratadas causam uma péssima impressão. De uns dois anos pra cá descobri os cremes e aí compro um aqui, outro ali e no final não uso nenhum, mas compro, só de olhá-los na prateleira já percebo que as rugas se retraem. Sou assim, vaidosa, mas não sou em excesso, penso que sou na medida certa, na medida correta para uma mulher. Enfim os anos passam e as marcas que eles deixam em nós, não temos como conter. Nem pretendo isso. Acho que cada marca que meu corpo carrega tem uma linda história. Às vezes me pego na frente do espelho descobrindo uma nova ruguinha e já me coloco a pensar o que a causou. Depois reencontro com outra que já está lá vincada há anos e me recordo que ela apareceu quando perdi um grande amor. Poderia enumerar também a história de cada fio de cabelo branco. Foram filhos, maridos, amigos que colocaram eles ali. Não quero me desfazer de nenhuma dessas marcas, apenas amenizá-las, acho que mereço isso. A vida me deve isso. Atualmente a parte que merece mais atenção minha tem sido a cabeça. Tento todos os dias colocá-la no lugar, equilibrá-la, alimentá-la com sonhos e alegrias. Corpo e mente caminham juntos, se um estiver em estado lastimável o outro provavelmente vai se deteriorar. Não escondo minha idade, não adiantaria falar que tenho quarenta e cinco e apresentar uma filha de trinta e um. Portanto eu confesso, tenho 57 anos. Metade deles, bem vividos, a outra metade muito sofridos. Mas é exatamente aí que está o encanto da minha idade. Conheci de tudo um pouco, das lágrimas aos sorrisos e ambos me fizeram ser essa pessoa que sou hoje. Ficaram as rugas no rosto e na alma, mas também ficaram sorrisos em ambos. Minhas rugas mais bonitas são aquelas marcas de expressão que eu adquiri por tanto sorrir, muitas vezes, quando o coração chorava. © SILVANA DUBOC"Este é um texto que achei maravilhosopara todas as mulheres.Tenho amigas na Net, muito queridas,de vinte a noventa anos.Muitas estão de bem com a vida que temoutras gostariam muito de ser diferentese se aproveitarem da alta tecnologiaestética do momento. Eu gosto de todasvocês, exatamente como são hoje."Tenho cabelos loiros, pintados, para esconder os fios brancos. Não me lembro exatamente em que ano eles começaram a branquear... Tenho algumas rugas em volta dos olhos, também não me recordo quando elas começaram a aparecer. Tento disfarçá-las, tantas novidades no campo da dermatologia, achei por bem aproveitá-las. Do corpo não cuido quase, só recentemente entrei para uma academia por ordem médica. Ele me disse que na minha idade preciso de exercícios. Mas falto mais do que vou, não gosto de fazer ginástica. Das minhas unhas cuido semanalmente, penso que elas são uma porta de visita. Unhas maltratadas causam uma péssima impressão. De uns dois anos pra cá descobri os cremes e aí compro um aqui, outro ali e no final não uso nenhum, mas compro, só de olhá-los na prateleira já percebo que as rugas se retraem. Sou assim, vaidosa, mas não sou em excesso, penso que sou na medida certa, na medida correta para uma mulher. Enfim os anos passam e as marcas que eles deixam em nós, não temos como conter. Nem pretendo isso. Acho que cada marca que meu corpo carrega tem uma linda história. Às vezes me pego na frente do espelho descobrindo uma nova ruguinha e já me coloco a pensar o que a causou. Depois reencontro com outra que já está lá vincada há anos e me recordo que ela apareceu quando perdi um grande amor. Poderia enumerar também a história de cada fio de cabelo branco. Foram filhos, maridos, amigos que colocaram eles ali. Não quero me desfazer de nenhuma dessas marcas, apenas amenizá-las, acho que mereço isso. A vida me deve isso. Atualmente a parte que merece mais atenção minha tem sido a cabeça. Tento todos os dias colocá-la no lugar, equilibrá-la, alimentá-la com sonhos e alegrias. Corpo e mente caminham juntos, se um estiver em estado lastimável o outro provavelmente vai se deteriorar. Não escondo minha idade, não adiantaria falar que tenho quarenta e cinco e apresentar uma filha de trinta e um. Portanto eu confesso, tenho 57 anos. Metade deles, bem vividos, a outra metade muito sofridos. Mas é exatamente aí que está o encanto da minha idade. Conheci de tudo um pouco, das lágrimas aos sorrisos e ambos me fizeram ser essa pessoa que sou hoje. Ficaram as rugas no rosto e na alma, mas também ficaram sorrisos em ambos. Minhas rugas mais bonitas são aquelas marcas de expressão que eu adquiri por tanto sorrir, muitas vezes, quando o coração chorava. © SILVANA DUBOC

IRRETOCÁVEL


"Este é um texto que achei maravilhosopara todas as mulheres.Tenho amigas na Net, muito queridas,de vinte a noventa anos.Muitas estão de bem com a vida que temoutras gostariam muito de ser diferentese se aproveitarem da alta tecnologiaestética do momento. Eu gosto de todasvocês, exatamente como são hoje."Tenho cabelos loiros, pintados, para esconder os fios brancos. Não me lembro exatamente em que ano eles começaram a branquear... Tenho algumas rugas em volta dos olhos, também não me recordo quando elas começaram a aparecer. Tento disfarçá-las, tantas novidades no campo da dermatologia, achei por bem aproveitá-las. Do corpo não cuido quase, só recentemente entrei para uma academia por ordem médica. Ele me disse que na minha idade preciso de exercícios. Mas falto mais do que vou, não gosto de fazer ginástica. Das minhas unhas cuido semanalmente, penso que elas são uma porta de visita. Unhas maltratadas causam uma péssima impressão. De uns dois anos pra cá descobri os cremes e aí compro um aqui, outro ali e no final não uso nenhum, mas compro, só de olhá-los na prateleira já percebo que as rugas se retraem. Sou assim, vaidosa, mas não sou em excesso, penso que sou na medida certa, na medida correta para uma mulher. Enfim os anos passam e as marcas que eles deixam em nós, não temos como conter. Nem pretendo isso. Acho que cada marca que meu corpo carrega tem uma linda história. Às vezes me pego na frente do espelho descobrindo uma nova ruguinha e já me coloco a pensar o que a causou. Depois reencontro com outra que já está lá vincada há anos e me recordo que ela apareceu quando perdi um grande amor. Poderia enumerar também a história de cada fio de cabelo branco. Foram filhos, maridos, amigos que colocaram eles ali. Não quero me desfazer de nenhuma dessas marcas, apenas amenizá-las, acho que mereço isso. A vida me deve isso. Atualmente a parte que merece mais atenção minha tem sido a cabeça. Tento todos os dias colocá-la no lugar, equilibrá-la, alimentá-la com sonhos e alegrias. Corpo e mente caminham juntos, se um estiver em estado lastimável o outro provavelmente vai se deteriorar. Não escondo minha idade, não adiantaria falar que tenho quarenta e cinco e apresentar uma filha de trinta e um. Portanto eu confesso, tenho 57 anos. Metade deles, bem vividos, a outra metade muito sofridos. Mas é exatamente aí que está o encanto da minha idade. Conheci de tudo um pouco, das lágrimas aos sorrisos e ambos me fizeram ser essa pessoa que sou hoje. Ficaram as rugas no rosto e na alma, mas também ficaram sorrisos em ambos. Minhas rugas mais bonitas são aquelas marcas de expressão que eu adquiri por tanto sorrir, muitas vezes, quando o coração chorava. © SILVANA DUBOC

terça-feira, 21 de abril de 2009

Morro lentamente


"Morro lentamente"
"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.


Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar,


morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos,


quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.


Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.


Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoínho de emoções,


justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.


Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida a fugir dos conselhos sensatos.


Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante...


Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.


Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.


Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio pleno de felicidade."

(Pablo Neruda)

É isto que sinto, a morrer lentamente...
Porque não encontro graça em mim.
Porque não consigo pedir ajuda.
Porque repito hábitos, trajectos.
Porque não arrisco vestir uma nova cor.
Porque evito paixões.
Porque não viro a mesa.
Porque não me permito fugir aos conselhos sensatos.
Porque não foi capaz de seguir os sonhos que o meu coração desejava...

segunda-feira, 20 de abril de 2009

EU PRECISO DE MIM


® Giovanni Leandro


Nesta noite que sempre foi dia, finalmente eu consegui chorar, mas não foi por tristeza ou desespero. Foi um choro de dor. Lágrimas rolaram devagar, enquanto meus olhos vagavam pelo mundo que tanto almejei.Chorei pelas mentiras que me disseram pra me deixar feliz, e agradeço por isso.Chorei também pelas omissões de fatos que poderiam ter destruído meus sonhos. E depois chorei mais ainda por perceber que eu teria preferido a verdade, mesmo cortante, como uma faca das mais afiadas, do que essa dor que me rasga o peito ferindo minh'alma.Chorei pelos amigos que não estão mais aqui, pensando se eu deveria ter me dedicado mais a eles... Abraçado mais... Beijado e deixado claro o quanto eu os amava.Mas o tempo é ingrato e a morte chega para cumprir o seu papel, sem pedir licença, sem bater na porta. Ela chega e leva quem você ama, junto com um pedaço de você e de sua história.Chorei pelo meu amor, imaginando como seria o futuro.Chorei pela saudade que dói e pelo carinho que conforta.Pelos olhares carinhosos e compreensivos, contrastando com o desejo latente e urgente.Pensei em chorar pelo mundo e suas maldades. Chorar pela falta de esperança das crianças e o esquecimento dos idosos. Pelas guerras e intolerâncias. Pela fome, sede, e ódio irracional do ser humano racional.Mas não chorei, porque hoje, o choro é meu, exclusivamente meu, porque preciso chorar.E então chorei pelo meu egoísmo.O mundo lá fora já chorava por ele mesmo, lançando suas lágrimas contra a janela de vidro.O mundo não precisa de mim hoje, mas eu sim. Eu preciso dessa minha dor sem censuras.Eu preciso de mim.Eu preciso de você.(Presente de Luzimar)

quarta-feira, 8 de abril de 2009

O AMOR ACABOU


Em que parte da casa

Nosso amor se perdeu?

Ficou no canto do quarto

Ou no jardim que era teu?


Em que parte da vida

A intimidade acabou?

Está na gaveta escondida

Ou cansada partiu e nos deixou?


Se perdeu pelo tempo...

Ou quis ficar para trás?

Estará de frio tremendo

Ou apenas atracada pelo cais?


Em que parte da música

Parou de cantar?

Será que dela se cansou?

Ou simplesmente parou de escutar?


As chamas daquele amor febril

Hoje já não ardem mais

As labaredas deste amor senil

Se apagaram e ficaram para trás.



Dúvidas povoam meus pensamentos

As incertezas zombam de mim

Do amor que era um jardim suspenso

Restou só lembranças perfumadas de jasmim.

Serena.

12 DE OUTUBRO


Para refrescar a sua memória: 12 de outubro de 1995, dia de Nossa Senhora Aparecida, durante o programa "Palavra de Vida", transmitido pela TV Record, o pastor Von Helder teve o que podemos chamar de acesso de fúria, descontrole e total falta de respeito pela crença alheia e começou a chutar a imagem da padroeira do Brasil, gerando uma das maiores polêmicas religiosas da história recente do nosso país.


O "bispo" da Igreja Universal do Reino de Deus acabou condenado por "incitar a discriminação de preconceito religioso, por meio de palavras e gestos", mas a maior pena ele nunca imaginava qual seria...


Um dia desses, na TV Canção Nova (canal 20 UHF RJ), durante a homilia o Padre Edmilson relembrou o fato que nos parecia tão distante, mas que ele trouxe à tona pelo final mais do que surpreendente.



Um tempo depois do episódio, o pastor von Helder passou a sentir fortes dores na perna esquerda, a mesma que ele havia chutado a imagem da santa. Aos poucos as dores até então sem explicação foram aumentando até um ponto que ele teve que procurar auxílio médico.



Von Helder tentou vários tipos de tratamentos no país, mas sem nenhum resultado... a dor simplesmente não melhorava.



Recomendado pelos médicos, Sérgio foi procurar ajuda nos Estados Unidos, numa clínica especializada. E lá passou um bom tempo internado. Segundo o próprio Sérgio, o tratamento era o melhor possível e o atendimento exemplar.



Mas havia uma enfermeira que sempre lhe dedicou uma atenção especial, acompanhando-o durante todos os momentos difíceis e de muita dor, principalmente durante às noites em que a dor insistia em não passar, cuidando de sua perna e dando-lhe conforto e esperança.


E assim o tempo passou e aos poucos o tratamento foi dando resultado, até a cura completa.



Sua alegria era tanta que, comovido, resolveu dar uma festa de agradecimento e despedidas para toda equipe que havia cuidado dele.



Durante a festa, Sérgio notou que a tal enfermeira, que havia sido tão importante em sua recuperação, não estava lá. Então foi procurar o diretor da clínica para saber do seu paradeiro.



Perguntou a ele onde estava a tal enfermeira, negra, simpática e atenciosa, que havia confortado-o em todas as noites de dor e desesperança...Para o espanto de Sérgio, o diretor falou desconhecer tal enfermeira e que não havia nenhuma enfermeira negra trabalhando naquela área do hospital. Sérgio ainda insistiu, perguntando inclusive para outros médicos e enfermeiras se não poderia ser de alguma outra área, mas ninguém fazia idéia de quem ela fosse.



Foi aí que o ex-pastor Von Helder caiu de joelho aos prantos, no meio da festa, se dando conta do que tinha acontecido...Ninguém entedeu nada na hora, mas não havia o que entender.



Sérgio se deu conta de que, neste tempo todo, a enfermeira que esteve ao seu lado em todos os momentos de dor e dificuldade era Nossa Senhora Aparecida.



Tomado de vergonha e remorso, o Sérgio se converteu ao catolicismo e hoje conta a sua história para quem quiser ouvir... um testemunho de fé tardia, mas nunca é tarde para a bondade infinita de Deus e o carinho e amor maior de Maria, nossa mãe, que mesmo humilhada não abandonou seu filho na doença.



Para quem quiser conferir o depoimento do ex-pastor, fique atento por que a Canção Nova vai transmití-lo em breve. (Presente de Lígia Ranzani)

QUEM É VOCÊ??????


Tenho procurado respostas nas estrelas...

Quero descobrir

Quem é você que me enche de alegria

Que do anonimato me fazes tão feliz

Não sei quem és,

Mas me faz tão bem.


Hoje sei o poder que tem as palavras

Elas sabem encantar, vem cheias de doçura

E se vem digitadas pelas tuas mãos

Tem um poder mágico.

Elas me fazem viajar para um mundo

onde só há amor,

compreensão, cumplicidade,companheirismo e ternura.

Ah! você me faz tão bem !


Se estás tão longe como podeme fazer tão bem ?

Como posso sentir o aconchego dos teus braçosSe nunca te abracei ?

Se nem ao menos os teus olhos fitei ?

Como posso senti-los me olhando ?

Se nunca senti o calor do teu carinho

Como posso sentir esse calor que emana ?

Como posso sentir que está triste

Se nem ao menos me falou ?

Ah! Você me faz tão bem.

Porque faz isso para mim

Se nem ao menos me conhece ?

Nunca nos conheceremos pessoalmente

mas sinto como se fossemosAmigos ha muito tempo.


Quem é você aí na telinha,

que me manda Tanto carinho ?

Quem é você que me faz tão bem ?

Quem é você que me dá tanta força ?

Quem é você que se esconde atrás desta Máquina fria e gelada ?



Acho que sei quem és.

É um ser divino que Deus colocou

No meu caminho

É um Doce Anjinho

Que apareceu para me proteger.

Ah ! Como é bom saber

queTem alguém que ama as estrelas,

Que ama um banho de chuva,

Que ama as flores,

Que ama seus pais,

Que dá valor à vida,

Que dá valor à uma amizade,

Que sabe o valor que ela

Representa em nossa vida.



Nossa amizade é maravilhosa.

Aprendi que quando temos Bons amigos,

não precisamos de mais nada, o resto vem junto.

É consequência.

Não sei rimar

Não sei brincar com asPalavras como você,


mas estas tenha certeza que saem

de dentro do meu coração.

Olhe para a lua linda

e majestosa no céu, e sempre

Que ela sorrir para você...É porque sou eu que

Estou lá.


(AD)(Presente da Aurea Manchini)

7 dicas sobre o relacionamento


"Sempre acho que namor, casamento, romance, tem começo meio e fim. Como tudo na vida.

Detesto quando escuto aquela conversa:

-Ah! terminei o namoro.....

-Nossa, estavam juntos há tanto tempo.....

-Cinco anos... que pena...acabou....

-é não deu certo.....



Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.

E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.

Não acredito em pessoas que se completam. Acredito em pessoas que se somam.

As vezes você não consegue nem dar cem por cento de voce

para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?

E não temos essa coisa completa.

As vezes ela é fiel, mas é devagar na cama.

As vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.

As vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.

As vezes ela é muito bonita mas não é sensível.

Tudo junto, não vamos encontrar.



Perceba qual o aspecto mais importante para voce e invista nele.

Pele é bicho traiçoeiro. Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe

mais básico que é uma delícia.

E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas não te impressiona......



Acho que o beijo é importante.... e se o beijo bate.... se joga....

se não bate mais....mais um Martini, por favor....e vá dar uma volta.

Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra. O outro tem o direito de não te querer.

Não brigue, não ligue, não dê piti. Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar.... ou não.

Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.

O ser humano não é absoluto.

Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar,

ela volta. Nada de drama.

Que graça tem alguém do seu lado sob pressão?



O legal é alguém que está com você, só por você. E vice-Versa.

Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós.

Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado, E quando você acorda,

a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.

Tem gente que pula de um romance para outro. Que medo é esse de se ver só,

na sua própria companhia?

Gostar dói. Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração...... faz parte.

Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.

E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse.....

A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.



Se alguém vier com esse papo, corra, afinal voce não é terapeuta.

Se não quer se envolver, namora uma planta. É mais previsível.

Na vida e no amor, não temos garantias.

Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.

Nem todo beijo e para romancear.

Se culpar....

Enfim...quem disse que ser adulto é fácil??????


Arnaldo Jabor.

sábado, 4 de abril de 2009

O ALUNO


Relata a Sra. Teresa, que no seu primeiro dia de aula parou em frente aos seus alunos da quinta série primária e como todos os demais professores, lhes disse que gostava de todos por igual.
No entanto, ela sabia que isto era quase impossível, já que na primeira fila estava sentado um pequeno garoto chamado Ricardo.
A professora havia observado que ele não se dava bem com os colegas de classe e muitas vezes suas roupas estavam sujas e cheiravam mal.
Houve até momentos em que ela sentia prazer em lhe dar notas vermelhas ao corrigir suas provas e trabalhos. Ao iniciar o ano letivo, era solicitado a cada professor que lesse com atenção a ficha escolar dos alunos, para tomar conhecimento das anotações feitas em cada ano.
A Sra. Teresa deixou a ficha de Ricardo por último. Mas quando a leu foi grande a sua surpresa. A professora do primeiro ano escolar de Ricardo havia anotado o seguinte: Ricardo é um menino brilhante e simpático. Seus trabalhos sempre estão em ordem e muito nítidos. Tem bons modos e é muito agradável estar perto dele.
A professora do segundo ano escreveu:Ricardo é um aluno excelente e muito querido por seus colegas, mas tem estado preocupado com sua mãe, que está com uma doença grave e desenganada pelos médicos. A vida em seu lar deve estar sendo muito difícil.
Da professora do terceiro ano constava a anotação seguinte:A morte de sua mãe foi um golpe muito duro para Ricardo. Ele procura fazer o melhor, mas seu pai não tem nenhum interesse e logo sua vida será prejudicada se ninguém tomar providências para ajudá-lo.
A professora do quarto ano escreveu:Ricardo anda muito distraído e não mostra interesse algum pelos estudos. Tem poucos amigos e muitas vezes dorme na sala de aula. A Sra. Tereza se deu conta do problema e ficou terrivelmente envergonhada.
Sentiu-se ainda pior quando lembrou dos presentes de Natal que os alunos lhe haviam dado, envoltos em papéis coloridos, exceto o de Ricardo, que estava enrolado num papel marrom de supermercado. Lembra-se de que abriu o pacote com tristeza, enquanto os outros garotos riam ao ver uma pulseira faltando algumas pedras e um vidro de perfume pela metade.
Apesar das piadas ela disse que o presente era precioso e pôs a pulseira no braço e um pouco de perfume sobre a mão. Naquela ocasião, Ricardo ficou um pouco mais de tempo na escola do que o de costume. Lembrou-se ainda, que Ricardo lhe disse que ela estava cheirosa como sua mãe. Naquele dia, depois que todos se foram, a professora Tereza chorou por longo tempo...
Em seguida, decidiu-se a mudar sua maneira de ensinar e passou a dar mais atenção aos seus alunos, especialmente a Ricardo. Com o passar do tempo ela notou que o garoto só melhorava. E quanto mais ela lhe dava carinho e atenção, mais ele se animava. Ao finalizar o ano letivo, Ricardo saiu como o melhor da classe.
Um ano mais tarde a Sra. Tereza recebeu uma notícia em que Ricardo lhe dizia que ela era a melhor professora que teve na vida. Seis anos depois, recebeu outra carta de Ricardo contando que havia concluído o segundo grau e que ela continuava sendo a melhor professora que tivera.
As notícias se repetiram até que um dia, ela recebeu uma carta assinada pelo Dr. Ricardo Stoddard, seu antigo aluno, mais conhecido como Ricardo. Mas a história não terminou aqui.
A Sra. Tereza recebeu outra carta, em que Ricardo a convidava para seu casamento e noticiava a morte de seu pai. Ela aceitou o convite e no dia do casamento, estava usando a pulseira que ganhou de Ricardo anos antes, e também o perfume.
Quando os dois se encontraram, abraçaram-se por longo tempo e Ricardo lhe disse ao ouvido:—
"Obrigado por acreditar em mim e me fazer sentir importante, demonstrando-me que posso fazer a diferença.
"Mas ela, com os olhos banhados em pranto sussurrou baixinho:—
"Você está enganado! Foi você quem me ensinou que eu podia fazer a diferença, afinal eu não sabia ensinar até que o conheci.
"Mais do que ensinar a ler e escrever, explicar matemática e outras matérias, é preciso ouvir os apelos silenciosos que ecoam na alma do educando.
Mais do que avaliar provas e dar notas, é importante ensinar com amor, mostrando que sempre é possível fazer a diferença...(AD)

quarta-feira, 1 de abril de 2009

"DESABAFO"


Não aconteceu nada, para que ela pudesse ter tomado aquela atitude açodada. Minha consciência está tranquila e em paz, acho que tudo isso é fruto da mão do tempo, que no estuário da vida, faz o destino se encarregar de apagar os últimos lampejos de amizade, carinho, compreensão chegando às portas do desamor.



De tudo que possa vir a me acontecer, o que eu mais tenho medo é que as esquinas da vida me faça, compulsoriamente, experimentar o mais cruél de todos os sentimentos - A SOLIDÃO -; Mas ao mesmo tempo me tranquilizo, pois o homem pode destruir todas as flores de todos os jardins, mas ninguém é capaz de deter a chegada de uma nova primavera.



Além de tudo isso, na minha vida de Advogado aprendi duas coisas que tenho como minha profissão de fé e acho que são alto aplicáveis a qualquer pessoa, nunca devemos pedir à ninguém: - DINHEIRO E PELAS MESMAS RAZÕES JAMAIS IMPLORAR AMOR - pois sempre que pedimos nos são negados. O DINHEIRO A GENTE GANHA O AMOR A GENTE CONQUISTA.



Há tempos volvidos, carrego comigo uma citação - cujo autor desconheço - afirmando que "AS LABAREDAS DA VIDA QUEIMAVAM OS SEUS SONHOS E AINDA INSULTAVAM A SUA SOLIDÃO" Sei que não é somente comigo que isso está ocorrendo, outros tantos também devem estar nas mesmas condições, mas como disse CHICO XAVIER - na vida tudo passa, e haverá um dia em que voce encontrará alguém que seja a sua felicidade, aquela pessoa que ao chegar, nada precisa dizer, porque a sua presença será um espetáculo deslumbrante.



Olha! pra finalizar, esse meu DESABAFO, sou um homem que ainda acredita no amor, não aquele amor carnal, mas um amor amigo, fiél, leal, aquele amor de um pai que acode uma filha que pede socorro, e, no silêncio da noite chora sozinho o aperto que carrega no peito, aquele amor dedicado aos velhos que tanta utilidade tiveram no passado, amor da mãe sofredora, amor da criança desemparada que dorme ao relento sem nada pra comer, amor pelos injustiçados que cumprem penas severas, por crimes que nunca cometeram. Enfim, um amor incondicional pelo espetáculo da natureza, porque o "AMOR É A MAIS BELA PARTITURA MUSICAL DA VIDA E SE VOCÊ NÃO O POSSUIR, ESTARÁ CONDENADO A SER UM ETERNO DESAFINADO NO IMENSO CORAL DA HUMANIDADE".


Autor - EBN.

domingo, 29 de março de 2009

A DOR DE AMAR


Já foram cantadas em verso e prosaAs incoerências desse tal "amor"...É um amargo-doce, dor deliciosa,É tristeza alegre, é frio no calor.E os sentimentos daquele que amaCom fervor intenso, com obsessão,Conforme a ciência já hoje proclama,São fontes de stress, de flagelação.Mas como viver sem curtir no peitoEsse stress vibrante e o sofrer de amar,Delícias de ter um cúmplice perfeito,Dores e prazeres de compartilhar?E como ficar nas noites sombriasSem sentir na alma a amorosa brisa,De um abraço amigo pleno de magias,E do afago amante que nos realiza?Se amar é sofrer... stress e flagelo...Hão de preferir nossos coraçõesO fascínio eterno de um doce libeloA um destino insosso, pobre de emoções... 2008/01/14 enviada por Taylane

GOSTO DA SOLIDÃO.


Gosto da solidão.Ou melhor, gosto do silêncio da solidão.Silêncio que desnuda as pessoas. Silêncio que faz florescer a impiedosa verdade de cada um.Silêncio que não dá lugar a mentiras, onde cada um vê e conversa com sua própria essência. E, como o reflexo de um espelho, é único ao mostrar imperfeições que se disfarçam no dia a dia.Involuntariamente, torna-se transparente.A Lógica vira insensata; a insensatez encontra lógica; há respostas para todas as perguntas, assim como afloram novas questões que passam a urgir respostas. Silêncio onde se transforma em réu e juiz de si mesmo.No silêncio da solidão pensamentos e desejos conscientemente inibidos podem ser pensados, explodindo sem pudor. O passado não querido é exposto e revivido sem piedade, e encontra-se as tardias soluções que poderiam tê-lo evitado. O passado bem vivido é redescoberto com prazer, enfeitado com a vontade de vivê-lo novamente, intensamente, eternamente. O futuro é sonhado com a perfeição dos deuses, construido com a esperança de que aconteça exatamente como no sonho sonhado.No silêncio da solidão pode-se conviver a qualquer hora com as pessoas que estão dentro de nós. Há o poder de escolher quem se quer ao seu lado. Povoa seu espaço somente aquele a uem se permite. Por isso as visitas são sempre bem vindas e faz-se desaparecer as companhias inoportunas. Ama-se quem se tem vontade; afasta-se a quem não se quer ver.O silêncio da solidão é mágico. Pode-se ouvi-lo ao mesmo tempo em que se ecutam as ondas batendo no mar, se observa um céu estrelado, em meio aos trovões e clarões de uma tempestade, ouvindo música suave ou simplesmente fechando os olhos e querendo estar com a sua verdade.É ele que produz o som das emoções. De repente, ouve-se soluços. Risos brotam sem porquê. As batidas do coração descompassam de acordo com o pensamento. Gemidos e lamúrias podem ser entoados como mantras. Seu próprio silêncio é ouvido de maneira serena ou dolorosa, mas sempre incontestável.Há quem diga que o silêncio amedronta, entristece. É gente que não percebe a tênue linha que o separa da depressão. É preciso aprender a não cruzá-la: lidar com a tristeza sem deixá-la apossar-se; passar a entendê-la apenas como um tempero inevitável, mas não o essencial da vida. Leva-se tempo pra aprender, mas vale a pena.Gosto de escrever no silêncio da solidão. Gosto de ouvir o silêncio da minha solidão.Gosto desse silêncio.Coração, agora fica quieto. Quero ouvir o meu silêncio.© Isabella Benicio Tedesco(Presente da AL - PR)Gosto da solidão.Ou melhor, gosto do silêncio da solidão.Silêncio que desnuda as pessoas. Silêncio que faz florescer a impiedosa verdade de cada um.Silêncio que não dá lugar a mentiras, onde cada um vê e conversa com sua própria essência. E, como o reflexo de um espelho, é único ao mostrar imperfeições que se disfarçam no dia a dia.Involuntariamente, torna-se transparente.A Lógica vira insensata; a insensatez encontra lógica; há respostas para todas as perguntas, assim como afloram novas questões que passam a urgir respostas. Silêncio onde se transforma em réu e juiz de si mesmo.No silêncio da solidão pensamentos e desejos conscientemente inibidos podem ser pensados, explodindo sem pudor. O passado não querido é exposto e revivido sem piedade, e encontra-se as tardias soluções que poderiam tê-lo evitado. O passado bem vivido é redescoberto com prazer, enfeitado com a vontade de vivê-lo novamente, intensamente, eternamente. O futuro é sonhado com a perfeição dos deuses, construido com a esperança de que aconteça exatamente como no sonho sonhado.No silêncio da solidão pode-se conviver a qualquer hora com as pessoas que estão dentro de nós. Há o poder de escolher quem se quer ao seu lado. Povoa seu espaço somente aquele a uem se permite. Por isso as visitas são sempre bem vindas e faz-se desaparecer as companhias inoportunas. Ama-se quem se tem vontade; afasta-se a quem não se quer ver.O silêncio da solidão é mágico. Pode-se ouvi-lo ao mesmo tempo em que se ecutam as ondas batendo no mar, se observa um céu estrelado, em meio aos trovões e clarões de uma tempestade, ouvindo música suave ou simplesmente fechando os olhos e querendo estar com a sua verdade.É ele que produz o som das emoções. De repente, ouve-se soluços. Risos brotam sem porquê. As batidas do coração descompassam de acordo com o pensamento. Gemidos e lamúrias podem ser entoados como mantras. Seu próprio silêncio é ouvido de maneira serena ou dolorosa, mas sempre incontestável.Há quem diga que o silêncio amedronta, entristece. É gente que não percebe a tênue linha que o separa da depressão. É preciso aprender a não cruzá-la: lidar com a tristeza sem deixá-la apossar-se; passar a entendê-la apenas como um tempero inevitável, mas não o essencial da vida. Leva-se tempo pra aprender, mas vale a pena.Gosto de escrever no silêncio da solidão. Gosto de ouvir o silêncio da minha solidão.Gosto desse silêncio.Coração, agora fica quieto. Quero ouvir o meu silêncio.© Isabella Benicio Tedesco(Presente da AL - PR)

ONDE FOR VÁ PARA SER ESTRELA!


© Rosana Braga
Numa dessas segundas-feiras em que a gente tem a impressão de que deveria ter ficado em casa, eu estava realmente irritada. Alguns obstáculos no trabalho, pouco tempo para muita tarefa e eu atrasada para um compromisso...
Saí dirigindo rumo ao meu destino; tensa, ligada no piloto automático. Parei no semáforo do cruzamento entre a França Pinto e a Domingos de Moraes, zona Sul de São Paulo. De repente, ouço uma voz do lado de fora dizendo:
- Posso cantar uma música para você?
Olhei assustada, pensando “Lá vem pedido de dinheiro, de novo!”. Fiquei constrangida em negar um pedido tão diferente e disse que sim, afinal ele tinha até o violão! Antes, ele avisou: é do Alceu Valença. E começou a tocar aquela, justamente aquela que eu adoro – La Belle du Jour.
O sujeito de pele morena, vestido de maneira extremamente simples, cantava só pra mim em plena tarde, na louca cidade. A cena era, no mínimo, mágica. Desliguei o rádio do carro; o celular tocou e eu não atendi. A voz dele ia apaziguando meu coração agitado.
Lembrei-me de que teria de dar o tal “trocado”, mas raramente ando com dinheiro. Encontrei na bolsa R$ 0,75 (isso mesmo: setenta e cinco centavos!). Quando ele terminou, eu estava um tanto atordoada com o encantamento provocado por aquela surpresa. O que um artista como ele estaria fazendo num semáforo, cantando em troca de gorjeta?!?
Sorri, agradecida por tão singelo presente e, ao mesmo tempo, chateada por ter tão pouco para “pagá-lo”. E ele ainda me disse, ao pegar as duas moedas:
- Muito obrigado por me ouvir. Você é muito simpática!
O semáforo abriu e fui embora, mas não consegui parar de pensar no que havia acontecido. Já não estava tensa. Todo o cenário do meu dia havia se transformado por causa daquele homem e seu dom. Eu me sentia a própria Belle du Jour.
Fiz aquele mesmo caminho durante vários dias depois, em horários diversos... mas nunca mais vi aquela ‘estrela’ com violão nas mãos e magias escondidas na boca para dar de presente a quem ele escolhesse.
Hoje, fico me perguntando se fora realmente um homem ou um anjo. Talvez fosse mais racional pensar que ele simplesmente migrou para outro semáforo qualquer, mas prefiro acreditar que tenha sido um anjo. Afinal, a vida é exatamente aquilo que acreditamos que ela seja.
Bem melhor, portanto, pensar em encantamentos, presentes, surpresas, anjos e fadas, como se a nossa história fosse enredo de um lindo filme campeão de bilheterias. Gosto de pensar que o Grande Diretor me convidou para ser a protagonista do filme que vivencio todos os dias, pois assim fica muito mais romântico, interessante, empolgante e inspirador.
E é por isso que, a despeito de qualquer tristeza, de todas as dores e os eventuais problemas, continuo acreditando no amor. E desejo que você também acredite, porque basta que desejemos o amor... e haverá amor!
(Presente de Cleo Dal Pra)