domingo, 25 de junho de 2017

sábado, 24 de junho de 2017

sábado, 29 de abril de 2017

sábado, 28 de janeiro de 2017




LABIRINTO DA VIDA! Autoria própria

Jamais pensei entrar em um labirinto, entrar é fácil, complicado é sair.
Quando finalmente encontramos a saída é fantástico, principalmente se ela espera por esse momento, esbanjando sorriso pela ansiedade de quem procura estendendo a mão pela vitória alcançada.

Feliz por ter conseguido encontrar a saída, a convido para um café ou até uma cerveja num BAR MEM que fica ao lado, depois de meditar por alguns segundos ela aceita o convite, o que fora feito por mim sem nenhuma pretensão a não ser compartilhar sorrisos na busca de uma felicidade perdida de longa data.

Depois de falarmos sobre tudo, eu sempre ouvindo mais que falando, aprendendo mais que ensinando, pois ela é de uma inteligência ímpar, falamos sobre tudo até de poesias.

Entretanto, o tempo foi escorrendo rapidamente eu nem percebi que o relógio já se encontrava com a hora adiantada e já marcava o momento de partir, foi quando ela esboçando mais um lindo daqueles belos sorrisos, disse que deveríamos irmos embora.

Concordei e pedi a conta a qual o garçom numa educação e gentileza invulgar nos desejou boa noite e um domingo de alegria e paz para o dia seguinte que já se aproximava.

Ao sairmos notei que a calçada estava úmida pela chuva que havida caído e que eu nem havida notado as gotas de cristal que caiam da rosas que haviam no local, tudo me passou desapercebido, pois eu só pensava em contemplar sua beleza.

Convidei a ela para que fossemos para sua casa caminhando, vez que o local era tranquilo, não oferecendo nenhum risco somado a fato que sua morada não era muito longe, ela novamente sorriu e aceitou.

Repentinamente ela disse chegamos parando frente a um portão; trocamos mais algumas palavras me despedi e aguardei ela adentrar a porta a qual antes de fecha-la olhou-me e novamente desabrochou aquele sorriso encantador. Tudo para mim estava sendo SURREAL por ser a primeira vez, o primeiro encontro.

Voltei com passos mais largos, peguei o carro, mas não sei como cheguei ao local certo, embebecido que estava com sua beleza que do nada veio, não sei de onde e nem o porque enfeitar minha quase sonoite e alegrar o meu viver.

Nunca mais a vi mesmo procurando por ela todos os dias, não procurei seu nome nem ela o meu acho que isso não aconteceu foi um déjá-vú, mas vou continuar a procura-la quem sabe eu estou enganado e ela seja verdadeira.