segunda-feira, 21 de novembro de 2011

POETAS E POETISAS VIRTUAIS - Olhos de Lince-


De repente...
Estão vestidos de sensibilidade
e sem notar escrevem versos
carregados de amor , de angústias,
de decepções, de carinhos e de esperanças.
Seus momentos solitários são
transformados em poemas.

De repente...
Na penumbra do quarto , escritório ou sala,
lá estão os dedos ágeis a escrever
palavras ditadas pela alma,
por momentos vividos
em meio a saudade ,
a angústia ou a esperança.

De repente...
Verdades são escritas,
sonhos são enfileirados,
a sensibilidade explode,
o coração acelera
e a alma sorri.

De repente...
Surgem na tela páginas coloridas,
com músicas a emoldurar
lindos poemas,
que acabam sendo identificados
como um momento real
do leitor virtual.

De repente...
Os versos se transformam em poemas,
seguem viagens por telas diversas,
por países distantes,
em idiomas diferentes...

De repente...
O poeta ganha espaço...
Seus versos a cada dia
vão ficando conhecidos,
seu correio eletrônico solicitado
e carinhos chegam
embrulhados em sorrisos virtuais,
arrematados com fitas de carinhos.

Poetas virtuais...
Que faz do mundo cibernético
uma cordilheira de sonhos,
tão próximos da realidade,
através da sensibilidade da alma.

Poetas virtuais...
Que do carinho constrói o sonho,
que da reflexão faz o questionamento,
que da sensibilidade ilumina o amor,
que da sinceridade de um momento vivido
consegue nublar um olhar de saudade,
ao mesmo tempo que rouba
um sorriso de esperança
daquele que se torna seu leitor!

Poetas virtuais...
Não parem...
Continuem a encantar
Postar um comentário