segunda-feira, 21 de novembro de 2011

MADRUGADA - Olhos delince


Madrugada fria...
Luzes salpicam os prédios,
uma festa para os olhos
de uma sonhadora.

Observo o acender e
o apagar das luzes,
penso que em cada janela
uma cena se desenrola.
A minha imaginação desperta.
a vontade de escrever..

Em minha varanda, o orvalho,
já se faz presente nas begônias
que repousam na floreira.
Vou encenando histórias...
Enquanto esboço sorrisos marotos,
ora de ternura, ora irônico e
assim vou delineando os protagonistas
dessa madrugada fria .

Uma estrela cadente
rabisca o céu...
De imediato faço
um pedido secreto!

Madrugada fria...
Sinto a falta de um corpo
para me aquecer,
um roçar de lábios em meu pescoço
e fortes braços para me sentir
viva nos sentimentos
e no prazer de mulher!

Madrugada fria...
O tempo passa...
As luzes vão se ausentando,
imagino que em cada janela
a luz se apagou,
porque houve um final,
com a vitória do amor
tendo como prêmio....
um adormecer entrelaçados em pernas
e corpos suados depois de
momentos de amor!

Recolho o meu olhar
das luzes quase findas,
procuro pelo meu quarto,
que abriga a cama
que me fará sonhar!

Boa noite Lua...
Boa noite estrelas...
Boa noite sonhos...
Boa noite para você, que me lê!
Postar um comentário