sexta-feira, 24 de setembro de 2010

DEUS


Deus,

Como me foi difícil contigo falar,
Quanto tempo andei,
De quantos tropeços me levantei,
Naufrágios sobrevivi...

E hoje, Senhor,
Ao passar pelo jardim entre flores e folhas,
Pisando na grama molhada,
Ouvi um canto que até então não defini.

Levantei a face ao céu supostamente escuro
E, em soluço intenso de alegria,
Sentia-te no piscar das estrelas,
No clarão da lua, no além da noite.
O amanhecer de não apenas um dia,
Mas de um novo meio século
Que desponta em forma de fé!

Senhor dos senhores,
Em felicidade entreguei-me a ti
E como sempre te peço que vás adiante de mim; hoje pairou no vento a certeza
que estás indo mais além,
estás a volta, acima e dentro de mim!

Obrigado, Senhor, por habitares
todos esses anos calado
e em silêncio em minha alma!

Obrigado, Senhor, por teres a
Paciência no esperar do meu despertar!
Obrigado, Senhor, por me manteres
Em amor, o mais puro amor,
Na alegria de ser, nessa luta de viver...
...Apesar dos pesares.

(Desconheço o Autor)
Postar um comentário