quarta-feira, 23 de abril de 2008

DESEJO OU SAUDADE?

 Mais que desejo, tenho saudades.
Será? Ou será que tenho mais desejos do que saudades?
O que será que eu tenho afinal?
Será um misto dessas emoções de alma que me confunde?
Acho que os dois em proporção infinita: desejo E saudades.
Saudades E desejo.
Os dois juntos,
como mãos harmônicas ao piano da vida.
Você, pessoa tão pequenina, tão mirradinha,
tão enorme dentro de mim.
Maior do que meu coração.
Maior do que a minha existência.
O que menos queria é te magoar, ah, não, isso não.
Se fosse isso, era preferível nem existir.
Já que não posso nem sequer te beijar quando desejo,
Só me restam saudades de te querer em mim quando me imagino existindo.
Já nem e não sei o que digo.
Já nem e não sei o que sou.
Já nem e não sei quem sou ou a que é dado tudo isto-isso:
se a vida tem significado,
ou se este é o significado da vida.
Se eu soubesse que a vida seria este seu olhar repousando sobre o meu,
teria vindo aqui só para isso.
Mesmo que desaparecesse - logo depois - para o eterno sempre.
Eu teria vivido esse átimo infinito do teu olhar.
Eu teria bebido essa bebida infinita do teu sorrir.
E teria derretido todo nesse nosso prazer gostoso de existirmos.
Só sei que você me faz feliz.
Muito além de mim.

*autor desconhecido*
Postar um comentário