quarta-feira, 13 de agosto de 2008

CATIVANDO (Sylvia Cohin & Fernando Peixoto)


Eu te prendo em meu jardim
no mais doce cativeiro,
se fizeres prisioneiro
todo o amor que mora em mim...


Como vou prender primeiro,
se sou eu o prisioneiro?
Cativa-me tu a mim
na prisão do teu jardim.


Nas grades das tuas rosas
me sinto um preso feliz
porque as pétalas formosas
me riem quando sorris.


Minhas grades são de rosas
mas também são de jasmim
eu te prendo toda prosa
se também sorris pra mim...


Eu sinto-me hipotenusa
nos teus braços de catetos
e do teu rosto de musa
sou cativo dos afectos.


Eu sinto-me teorema
nesta perfeita equação:
estou presa sem algema
dentro do teu coração..!
Postar um comentário